Conversor MIDI2CV

Por | 6 de agosto de 2017

midi2cv_site_bk

PRODUTO DESCONTINUADO –

O MIDI2CV é um conversor de comandos MIDI para tensão CV que permite controlar sintetizadores analógicos (com entradas de CV e Gate) e também sincronizar baterias e sequenciadores analógicos a partir de um computador ou um teclado controlador MIDI.

O MIDI2CV aceita comandos MIDI recebidos pela sua entrada MIDI In e também via USB (Windows ou Mac), e retransmite via MIDI Out os comandos vindos do computador (ou seja, também opera como interface MIDI-USB).

Gera dois sinais de CV e dois sinais de Gate. Os sinais de CV de pitch podem ser gerados no padrão de escala de 1V/oitava (Moog, Arturia, etc) ou de Hz/V (Korg, Yamaha, etc). Os sinais de CV de pitch incluem os comandos MIDI de pitchbend. Alternativamente, a saída CV2 pode ser configurada para gerar sinais de CV a partir das informações de MIDI de key velocity ou modulation, e a saída de Gate2 pode gerar pulsos de Sync nos formatos 2 ppq ou 24 ppq.

Os sinais de CV de pitch são recebidos nos canais 1 e/ou 2, dependendo do modo de operação selecionado. No modo “split”, CV1 e CV2 geram os sinais de pitch das notas recebidas no canal de MIDI 1, a partir de duas regiões diferentes do teclado; no modo “layer”, CV1 gera sinal de pitch das notas recebidas no canal de MIDI 1 e CV2 gera sinal de pitch das notas recebidas no canal de MIDI 2, ambos os canais com extensão de 5 oitavas.

 

Assista o vídeo sobre o MIDI2CV:

1. Visão Geral

O MIDI2CV é um conversor que gera sinais de CV (control voltage) e Gate a partir de comandos de notas MIDI. Ele permite que você use um teclado controlador MIDI ou um software sequenciador no computador para tocar sintetizadores analógicos que são controlados por sinais de CV/Gate.

O MIDI2CV gera os sinais apropriados de CV e Gate para acionamento de notas, nos padrões de escalas de 1 volt/oitava (Moog, etc) e de Hertz/volts (Korg,  Yamaha, etc). Os sinais de CV das notas incluem os comandos de pitchbend. Também podem ser gerados sinais de CV a partir das informações de key velocity ou modulation, e pulsos de Sync a partir de comandos MIDI de sincronização.

O MIDI2CV também opera como interface MIDI-USB em computador Windows ou Mac.

midi2cv_espec

2. Operação

O MIDI2CV possui duas saídas de CV e duas saídas de Gate, podendo ser configurado para operar em três modos diferentes.

2.1. Modo 1 (2 Vozes / 2 Canais)

Neste modo, um comando de nota MIDI recebido no canal 1 (via MIDI In ou USB) gera os respectivos sinais analógicos de CV/Gate nas saídas CV1 e Gate1, para acionar aquela nota em um sintetizador analógico. E um comando de nota MIDI recebido no canal 2 (via MIDI In ou USB) gera os respectivos sinais analógicos de CV/Gate nas saídas CV2 e Gate2.

midi2cv_fig01

Figura 1 – Exemplo do modo “2 vozes / 2 canais”: um computador (ou um teclado controlador) transmite as notas pelos canais de MIDI 1 e 2; as notas do canal 1 controlam um sintetizador analógico e as notas do canal 2 controlam outro sintetizador.

Nota: O MIDI2CV aciona uma nota de cada vez para cada canal de MIDI. Por exemplo: no caso acima, se o software/computador enviar duas ou mais notas simultâneas no canal 1, o MIDI2CV só vai gerar em CV1 e Gate1 os sinais de CV/Gate correspondentes à última nota recebida (“last note priority”).

A mesma condição se aplica ao canal de MIDI 2 e às saídas CV2/Gate2.

Isto não chega a ser uma limitação, já que quase todos os sintetizadores analógicos são monofônicos, isto é, só podem produzir uma nota de cada vez.

2.2. Modo 2 (2 Vozes / 1 Canal)

Neste modo, o MIDI2CV só recebe notas pelo canal de MIDI 1 (via MIDI In ou USB) e opera na forma conhecida como “split”: um nota MIDI no canal 1 que seja igual ou superior à nota dó 4 gera os respectivos sinais analógicos de CV/Gate nas saídas CV1 e Gate1, para acionar aquela nota em um sintetizador analógico. E um comando de nota MIDI no canal 2 que seja inferior à nota dó 4 gera os respectivos sinais analógicos de CV/Gate nas saídas CV2 e Gate2. A Figura 2 ilustra esta situação.

midi2cv_fig02

Figura 2 – Exemplo do modo “2 vozes / 1 canal”: um teclado controlador (ou um computador) transmite as notas pelo canal de MIDI 1; as notas acima de dó4 (inclusive) controlam um sintetizador analógico e as notas abaixo de dó4 controlam outro sintetizador.

Nota: O MIDI2CV aciona uma nota de cada vez para cada canal de MIDI. Por exemplo: no caso acima, se o controlador MIDI transmitir duas ou mais notas simultâneas em cada região do teclado, o MIDI2CV só vai gerar em CV1 e Gate1 os sinais de CV/Gate correspondentes à última nota recebida (“last note priority”). A mesma condição se aplica ao canal de MIDI 2 e às saídas CV2/Gate2.

2.3. Modo 3 (1 Voz / Controle / Sync)

O MIDI2CV pode ainda operar em um terceiro modo, no qual as saídas CV1 e Gate1 continuam acionando notas (recebidas pelo canal 1 de MIDI, exatamente como no Modo 1), mas a saída CV2 é usada para controlar algum outro parâmetro do sintetizador analógico, a partir do controle de modulation (comando CC1) ou da intensidade da nota (key velocity), ambos recebidos pelo canal 1 de MIDI.

2.3.1. CV2 gerando sinal de controle

Em vários sintetizadores analógicos, além das entradas de CV (pitch) e Gate para tocar as notas, existem também entradas de controle (CV) para ajustar parâmetros de outros módulos, tais como a frequência de corte do filtro (VCF), a intensidade do LFO, etc. É possível usar a saída CV2 do MIDI2CV para controlar estes outros parâmetros a partir dos movimentos da roda/alavanca de modulation ou a partir da intensidade com que se toca as teclas (key velocity) em um teclado MIDI. A Figura 3 mostra um exemplo em que o filtro do sintetizador analógico é controlado pelo sinal de CV2, gerado a partir da roda de modulation no teclado controlador MIDI. No lugar do teclado MIDI, é possível usar os comandos MIDI da mesma forma a partir de um software em um computador conectado ao MIDI2CV via USB.

midi2cv_fig03

Figura 3 – Exemplo do uso do CV2 como sinal para controlar um parâmetro diferente da afinação de nota (pitch); no caso, o movimento na roda de modulation gera um sinal em CV2 que é aplicado à entrada de controle do VCF do sintetizador analógico.

Veja na Seção 3 como configurar o Modo 3, e selecionar se o sinal gerado na saída CV2 será controlado a partir do comando MIDI de modulation ou a partir da intensidade da nota (key velocity).

2.3.2. Gate2 como sinal de Sync

Ainda no Modo 3, além de ter o sinal de CV2 respondendo ao comando de modulation ou à intensidade da nota, o MIDI2CV também gera no Gate2 um sinal de Sync. Este sinal possibilita sincronizar baterias eletrônicas ou sequenciadores analógicos a partir do andamento de um equipamento MIDI ou de um sequenciador no computador.

O sinal de Sync no Gate2 pode ser configurado para funcionar no padrão adotado pela série Korg Volca (2 ppq) ou no padrão adotado pela
Roland e outros (24 ppq). No caso dos equipamentos antigos da Roland, é necessário fazer um cabo adptador de plugue P2 para plugue DIN.

 

midi2cv_fig04

Figura 4: Exemplo do uso do CV2 como controle (conforme item 2.3.1) e o Gate2 sendo usado para gerar um sinal de Sync analógico. Este sinal acompanha os comandos de sincronismo MIDI produzidos no software sequenciador (via USB) ou em um equipamento MIDI, como uma bateria eletrônica ou sequenciador (via MIDI In)

A partir dos comandos de sincronismo MIDI (MIDI Clock, Start, Stop, Continue) recebidos por USB ou MIDI In, o MIDI2CV gera pulsos de Sync que fazem os equipamentos analógicos acompanharem o andamento (tempo) do software no computador. Este processo funciona igualmente se os comandos de sincronismo MIDI forem recebidos pela entrada MIDI In.

Nota: O sinal de controle em CV2 e o sinal de Sync no Gate2 operam de forma totalmente independente um do outro.

2.4. Escalas de CV e polaridades de Gate

Para acionar uma nota em um sintetizador analógico, é preciso gerar dois sinais: um sinal de CV (control voltage), que determina a altura (afinação) da nota; e um sinal de Gate, um pulso que indica o início e o fim da execução daquela nota. No entanto, as características elétricas desses sinais variam conforme o  modelo/fabricante do sintetizador.
Na maioria, o sinal de CV segue o padrão “1 volt/oitava”, isto é, a cada aumento de 1 volt no sinal, a afinação do oscilador sobe uma oitava (aumentos lineares na tensão de CV produzem aumentos exponenciais na frequência). Entretanto, alguns sintetizadores adotam um outro tipo de escala, chamada de Hertz/volts, em que o aumento da afinação é linearmente proporcional ao aumento da tensão de CV.

Para atender a todos os casos, as saídas CV1 e CV2 do MIDI2CV podem ser configuradas, independentemente, para operar em qualquer dos padrões (1V/oit ou Hz/V), cobrindo 5 oitavas em ambos os casos. Veja na seção 3 como fazer para configurar as saídas de CV do MIDI2CV.

Da mesma forma, as características do pulso de Gate também podem ser diferentes, conforme o sintetizador. Alguns adotam Gate positivo, usando um pulso ascendente de 0V a +5V (ou mais) para acionar a nota; outros adotam Gate negativo, usando um pulso descendente de +5V (ou mais) para 0V (ou menos) para acionar a nota.

Para atender a todos os casos, as saídas Gate1 e Gate2 do MIDI2CV também podem ser configuradas independentemente para atuar como pulso positivo (0V a +8V) ou negativo (+8V a 0V). Veja na seção 3 como fazer para configurar as saídas de Gate do MIDI2CV.

Assim, com o MIDI2CV é possível, por exemplo, controlar um Moog (1 V/oit; pulso ascendente) usando o canal MIDI 1 e um Yamaha CS10 (Hz/V; pulso descendente) usando o canal MIDI 2. Basta configurar adequadamente.

A tabela abaixo apresenta alguns exemplos de tipos diferentes de CV e Gate.

midi2cv_tab01

2.5. Saídas duplicadas

O MIDI2CV oferece saídas duplicadas de CV e Gate, permitindo controlar dois sintetizadores por CV1/Gate1 e outros dois por CV2/Gate2. Mas lembre-se de que os dois sintetizadores conectados a CV1/Gate1 executarão as mesmas notas MIDI, já que os sinais são repetidos. O mesmo se aplica a CV2/Gate2.

2.6. Interface MIDI-USB

O MIDI2CV também funciona como uma interface MIDI-USB. Isto quer dizer que você pode usá-lo para controlar instrumentos MIDI, através da porta MIDI Out, ao mesmo tempo que controla sintetizadores analógicos por CV/Gate.

midi2cv_fig04

Figura 4 – Exemplo do uso como conversor e interface MIDI-USB: um teclado controlador transmite as notas para o software no computador, que as transfere para dois sintetizadores analógicos, via CV/gate, e também para um sintetizador digital, via MIDI.

Não é necessário instalar um driver para usar o MIDI2CV com o computador, pois ele funciona com o driver nativo do sistema operacional. Foi testado e funcionou satisfatoriamente no Windows XP, 7, 8 e 10 e no Mac OSX 10.10.

 

3. Configuração dos Modos de Operação

Os modos de operação do MIDI2CV podem ser configurados por meio das 4 microchaves, posicionando cada uma delas conforme a função desejada
(veja Tabela 1), e em seguida pressionando a tecla PROG. O LED piscará indicando que a configuração foi memorizada.

midi2cv_fig05

Para configurar uma função, faça o seguinte:
1. Ligue o conversor na rede elétrica usando a fonte de alimentação;
2. Não toque notas no teclado MIDI e, se o MIDI2CV estiver conectado à porta USB, pare a transmissão de notas no computador;
3. Usando uma pequena chave de fenda ou a ponta de uma caneta, posicione as microchaves para as funções desejada, conforme a Tabela 1;
4. Pressione a tecla PROG para memorizar a configuração (o LED piscará, indicando que a configuração foi memorizada).

Nota 1: As configurações memorizadas por este procedimento continuam na memória mesmo quando a alimentação do conversor é desligada.

Nota 2: Embora a configuração possa ser efetuada mesmo com o MIDI2CV conectado via MIDI e/ou USB, é recomendável não fazer isto quando ele estiver recebendo/transmitindo MIDI, pois as mudanças de configuração poderão produzir perda de dados MIDI na recepção e/ou na transmissão.

 

Tabela 1 – Configuração dos Parâmetros midi2cv_tab02

Tabela 2 – Configuração Padrão (via RESET)midi2cv_tab03

3.1. Exemplos de configuração

A. Sintetizador analógico com escala de Hz/V e Gate negativo

midi2cv_fig07

Use um teclado controlador MIDI ou software no computador para controlar o sintetizador (as notas devem ser transmitidas pelo canal de MIDI 1).
Configure o MIDI2CV para o Modo 1.
– posicione as microchaves: OFF-OFF-ON-OFF e tecle PROG
Configure o MIDI2CV para usar escala Hz/V em CV1:
– posicione as microchaves: OFF-ON-ON-OFF e tecle PROG
Configure o MIDI2CV para usar pulso negativo (descendente) em Gate1:
– posicione as microchaves: ON-OFF-ON-OFF e tecle PROG

B. Sincronização de bateria eletrônica analógica ao computador

midi2cv_fig08

Configure o software para transmitir sincronismo MIDI.
Configure o MIDI2CV para o Modo 3:
– posicione as microchaves: OFF-ON-OFF-ON e tecle PROG
Configure o MIDI2CV para gerar o tipo de Sync desejado:
– posicione as microchaves: ON-ON-OFF-ON e tecle PROG para 2 ppq (Korg, etc)
ou
– posicione as microchaves: ON-ON-OFF-OFF e tecle PROG para 24 ppq (Roland, etc)
Ao disparar o software (Play/Continue), o MIDI2CV irá gerar os pulsos de Sync na saída Gate2, conforme o andamento (tempo) ajustado no software.

4. Especificações

Saída CV1
Nota (pitch): 1V/oitava (5 oitavas: 0V a +5V) ou Hz/V (5 oitavas: +125mV a +4V)
Pitchbend: ±1 oitava; adicionado ao sinal de CV da nota
No modo “2 Canais” converte todas as notas no canal MIDI 1
No modo “2 Vozes” converte notas do canal MIDI 1 iguais ou acima de dó4
Prioridade para a última nota (“last note priority”)

Saída CV2
Nota (pitch): 1V/oitava (5 oitavas: 0V a +5V) ou Hz/V (5 oitavas: +125mV a +4V)
Pitchbend: +/- 1 oitava; adicionado ao sinal da nota (exceto no canal MIDI 1)
No Modo “2 Canais” converte todas as notas no canal MIDI 2
No Modo “2 Vozes” converte notas do canal MIDI 1 abaixo de dó4 (sem pitchbend)
Prioridade para a última nota (“last note priority”)
No Modo “Nota + Controle” converte comandos de modulation ou a intensidade
das notas (key velocity) recebidas no canal de MIDI 1: 0V a +5V;

Saída Gate1
Em todos os Modos: sinal de acionamento da nota do CV1
Pulso configurável: positivo (0V a +8V) ou negativo (+8V a 0V)

Saída Gate2
Nos Modos “2 Vozes” e “2 Canais”: sinal de acionamento da nota do CV2
Pulso configurável: positivo (0V a +8V) ou negativo (+8V a 0V)
No Modo 3: pulsos positivos de Sync (2 ou 24 ppq)

Precisão do sinal de CV: erro menor do que 8 mV
Latência: < 1,5 ms
Memória: configuração de 8 parâmetros; não volátil
Alimentação elétrica: fonte externa 12Vcc
Consumo: 400 mW

Nota: Todas as saídas de sinal têm proteção contra curto-circuito e foram especificadas para serem conectadas a uma impedância de entrada de 100 kΩ.

Avisos importantes:

  • O MIDI2CV só funciona se estiver conectado à fonte de alimentação, mesmo quando conectado via USB a um computador.
  • O MIDI2CV só deve ser utilizado com a fonte de alimentação fornecida ou um modelo compatível.
  • Ao conectar e desconectar os cabos, segure sempre pelo plugue.
  • Se precisar mover o MIDI2CV de um lugar para outro, desconecte primeiro todos os cabos.
  • Nunca use/guarde o MIDI2CV em locais sujeitos a umidade, temperaturas extremas (ex: veículo fechado), ou sujeitos a vibração e choque.
  • Não abra nem efetue qualquer mudança interna no MIDI2CV.
  • Caso tenha problemas na operação do MIDI2CV, primeiro certifique-se de que está ligado (LED aceso) e que as conexões estão corretas. Em seguida, efetue as configurações apropriadas usando as microchaves (veja seção 3).