Atitudes sustentáveis

(publicado em mar/2012)

O final do verão é sempre marcado por chuvas muito fortes, mas nos últimos anos elas têm ficado muito mais intensas, alagando ruas e causando prejuízos a muita gente. Está provado que as mudanças climáticas são causadas pelas ações do ser humano.

Você deve estar perguntando: e o que isto tem a ver com o áudio e a música? Num primeiro momento, parece que não temos nada a ver com essas catástrofes. Ora, a culpa é do desmatamento, do crescimento desordenado das cidades, da quantidade cada vez maior de automóveis. Mas se pensarmos bem, ainda que em pequena escala, nossas atividades – e nossas atitudes – também acabam interferindo no meio ambiente.

A cultura do consumo, que contamina a todos nós, faz com que busquemos sempre mais alguma coisa além daquilo que já temos. A economia mundial é movida pelo consumo, porque é necessário aumentar os lucros – produzir mais para vender mais. Obviamente, quando um produto pode melhorar ou facilitar nosso trabalho, ele passa a ser uma necessidade. O problema não é o fato de comprarmos novos produtos, mas sim de desejarmos produtos que nem precisamos. Além disto, quando substituímos um equipamento por outro mais novo, geralmente o antigo “perde” sua utilidade e acaba se tornando um resíduo, nem sempre descartado da forma adequada. Felizmente, a onda da cultura vintage tem ajudado a reaproveitar algumas coisas “velhas”, tornando novamente úteis aqueles instrumentos e equipamentos que iriam injustamente para o lixo.

Produtos novos são aqueles que trazem efetivamente novos recursos, melhor qualidade ou mais eficiência. Em muitos casos, a novidade é apenas no design, como os novos faróis de um automóvel ou a cor prata de um celular. É só fashion. A necessidade de colocar sempre um novo produto no mercado faz com que muitas indústrias estabeleçam um programa de obsolescência que nada tem a ver com a vida útil de seus produtos.

Quanto mais aparelhos eletrônicos são jogados fora, maior é a quantidade de resíduos e danos ao meio ambiente Como boa parte do que se descarta ainda não é ou não pode ser reaproveitada, a consequência no futuro será a escassez de algumas matérias-primas.

Como usuários, precisamos ser mais conscientes, buscando os produtos que realmente precisamos e cobrando das indústrias equipamentos que possam ter sua vida útil prolongada, por exemplo, atualizando o seu software interno. É preciso que as indústrias adotem processos de produção cada vez mais sustentáveis, gerando menos poluentes e proporcinando mais economia de recursos naturais. Embora esta já seja a postura de várias empresas, ainda há muito o que se fazer.

Como profissionais, devemos estar sempre atentos em relação aos nossos procedimentos. Quando não estamos usando alguns equipamentos, então é melhor mantê-los desligados. Isto reduz o consumo de energia (e o que pagamos por ela!) e o calor no ambiente. Além de aumentar a vida útil dos aparelhos.

Como projetistas, podemos repensar alguns conceitos. Estúdios são caixas fechadas, mas não é tão difícil assim usar iluminação natural. Existem técnicas que permitem melhorar o isolamento térmico, reduzindo o consumo do ar condicionado. Também é possível reaproveitar determinados materiais na confecção de painéis para tratamento acústico.

Fazer as coisas de uma forma diferente sempre dá algum trabalho, mas os resultados compensam. Pequenas atitudes realizadas por muitas pessoas podem resultar em grandes consequências. Como disse Ghandi, “O que você faz pode parecer insignificante, mas é importante que você faça”.